O que é uma metodologia de ensino? – Diferentes abordagens

metodologia de ensino

Será que estamos preparados para um futuro cada vez mais tecnológico? Nos últimos anos, o segmento da educação deu um verdadeiro “salto quântico” em termos de inovação, novas teorias e abordagens de metodologia de ensino. Diante de uma prática de ensino guiada por correntes mais tradicionalistas, que não conseguiam mais suprir as necessidades do mundo atual, novos paradigmas acabaram surgindo e se propagando em escolas públicas e privadas em todo o mundo.

Se o modelo tradicional de escola concebia um sistema seriado e engessado, baseado nas demandas da própria escola, na suposta superioridade do professor, em provas e testes que criavam exclusão e estereótipos, parece ter florescido novas concepções de ensino e aprendizagem, em que as necessidades de desenvolvimento do aluno estão no centro de todo o projeto de escola. Abordagens mais humanizadoras, simples, contínuas, inclusive para fora da sala de aula, parecem dialogar com os anseios de um mundo mais acelerado e tecnológico. 

O ensino de tecnologia também deve se basear em metodologias mais assertivas, inovadoras, criativas e faz parte de uma demanda que deve crescer ainda mais nos próximos anos. Já temos a primeira geração de jovens adultos que nasceram em um mundo digital, mas a necessidade do ensino tecnológico deve se aprofundar, popularizar e se intensificar fortemente na próxima década – veja nesta matéria mais sobre os benefícios do ensino de tecnologia.

Mesmo que ainda haja resquícios do ensino tradicional nas escolas brasileiras e que até mesmo um movimento saudosista que quer trazer ao ensino atual bases mais conservadoras, as metodologias de ensino mais assertivas estão à disposição de alunos, pais, professores, escola e, enfim, de toda a comunidade. 

Vejamos a seguir um panorama sobre as metodologias de ensino. Veja também sobre a revolução no mercado de educação neste artigo já publicado no Blog I Do Code.

O que é uma metodologia de ensino?

Mas, afinal, o que é uma metodologia de ensino? Uma metodologia de ensino é a aplicação de diferentes métodos no processo ensino e aprendizagem de uma ou mais áreas do conhecimento. 

Uma metodologia traz um conjunto de técnicas e ferramentas, como também uma perspectiva sobre o que deve ser ensinado, como deve ser ensinado, a quem deve ser ensinado, para qual fim e por quem deve ser ensinado. Essa metodologia em geral tem um viés ideológico ou uma concepção de mundo.

Uma metodologia de ensino é também um caminho para se aprender e ensinar algo e esta referência é grega, “méthodos” significa caminho para chegar a um fim ou objetivo. É um processo didático, com suas fases, premissas, mensurações e outros aspectos próprios.

Importância de ter uma metodologia de ensino assertiva

A importância de adotar uma metodologia de ensino é organizar e sistematizar o processo de aprender e ensinar para obter os melhores resultados. Além disso, é importante ter uma abordagem norteadora quando trabalhamos com um grupo de pessoas.

Principais abordagens modernas de ensino

Ao longo dos séculos, as metodologias de ensino mudaram bastante e sempre foram um fruto de sua época, da elite ou tipo de estado vigentes, ou ainda das necessidades que as pessoas tinham quanto ao processo de ensino-aprendizagem. 

Por exemplo, a forma como os gregos aprendiam e ensinavam dificilmente daria certo no contexto contemporâneo, já que o mundo é outro, há novos tipos de relações, complexidades sociais e políticas diferentes, novas tecnologias. etc. O mundo muda e os paradigmas de educação também, e devemos acompanhar estas transformações.

Vejamos algumas metodologias de ensino com mais atenção:

Metodologia de ensino tradicional 

É possível que você tenha tido algum contato ou tenha sido educado nos moldes mais tradicionais de ensino. É um modelo europeu, que surgiu no século XVIII, e foi se desenvolvendo lentamente ao longo dos séculos. O conteúdo tem foco no professor, e não no aluno, bem como nas demandas da escola, e o método voltado para competitividade. 

Em geral, é seriado, massivo e com conteúdo fixo para cada fase, seja baseado em apostilas e materiais prontos. As avaliações são iguais para todos os alunos e testam o conteúdo adsorvido. Quem não atinge a nota mínima não evolui para a próxima etapa.

Na verdade, é um modelo ainda muito resistente em escolas brasileiras e cursos pré-vestibulares. Mas cada vez mais os educadores entendem que este modelo não reflete mais a realidade atual e pode estar associado aos problemas mais comuns na educação – veja nesta matéria mais sobre este assunto. Confira também mais sobre a metodologia tradicional nesta página.

Metodologia de ensino Construtivista

Baseada no trabalho do psicólogo suíço Jean Piaget, a metodologia construtivista tem como objetivo central o desenvolvimento da criança como pessoa, não apenas como aluno. É muito difundida no Brasil. A abordagem considera a construção do conhecimento desde a infância: a criança tem condições de construir seus próprios conhecimentos e não apenas absorver conteúdo em sua formação.

No construtivismo não há um currículo fechado e muitas atividades são propostas ao longo do ensino. O aluno aprende, mas também ensina e o professor é um mediador do processo de construção do conhecimento. Veja mais sobre a metodologia construtivista nesta matéria.

Metodologia de ensino Montessori

Desenvolvido pela italiana Maria Montessori, uma médica e pedagoga que viveu entre 1870 e 1952, a preocupação inicial desta metodologia é considerar a afetividade como algo a ser considerado no processo de ensino. Além da afetividade, a metodologia Montessori preocupa-se ainda com o ambiente de ensino e com o senso de responsabilidade da criança.

No ambiente, os objetos de interação da criança devem estar na sua altura, com fácil acesso, e ela pode manipulá-los, desenvolvendo assim a sua autonomia, um dos conceitos centrais desta abordagem. É Uma metodologia de ensino também inclusiva, já que inicialmente foi concebida para crianças com necessidades especiais. Já lançamos uma matéria aqui no Blog I Do Code sobre esta abordagem – leia neste link.

Metodologia de ensino Freinet

A metodologia Freinet foi idealizada pelo pedagogo Celéstin Freinet e é uma abordagem libertária, que coloca o aluno no centro do seu processo de ensino e aprendizagem. Acredita educar é “construir juntos” e que a criança tem um papel social importante e é cidadã ao seu modo. 

Possui quatro eixos fundamentais: cooperação (pela construção social do conhecimento), comunicação (integração do conhecimento), documentação (registro do que é construído) e afetividade (relacionamento com sentido entre as pessoas e objeto de conhecimento).

Esta abordagem possui muitas ferramentas de práticas diárias, não possui avaliações tradicionais e o aluno constrói os seus recursos didáticos. Há muitas instituições que apresentam ao redor do mundo histórias de sucesso com a metodologia Freinet – veja mais sobre esta perspectiva de ensino nesta matéria.

Metodologia de ensino Pikler

Esta abordagem é direcionada à educação infantil até 3 anos. Foi desenvolvida pela médica húngara Emmi Pikler, e integra o cuidado com a saúde física e no respeito pela individualidade de cada criança. Cada criança tem seu próprio ritmo para aprender e não deve ser apressada por seus cuidadores ou pelos pais. 

A relação que tem com o seu corpo, com os movimentos, com a fala, com a interação ao mundo que a cerca deve ir se desenvolvendo de forma natural. Para isso, a interação com os pais é muito importante: estes devem conversar, mostrar e acompanhar a criança, com respeito ao tempo dela. A metodologia Pikler é utilizada em creches e escolas infantis, bem como em casa, pelos pais. Veja também nesta matéria o que o seu filho deve aprender na infância. Confira neste artigo mais informações sobre a metodologia Pikler.

Metodologia de ensino Freiriana

A metodologia freiriana foi idealizada pelo pedagogo brasileiro Paulo Freire e é reconhecida mundialmente por sua inovação. Começou com estratégias para o ensino de jovens e adultos e acabou se propagando para as diferentes fases de ensino. 

Conhecida como educação libertadora, propõe que todo indivíduo é agente da própria libertação à medida em que adquire conhecimento. O foco desta abordagem é a liberdade e autonomia, sendo o aluno um educador de si mesmo, podendo ele aprender e criar novos conhecimentos a partir da sua própria experiência de vida. O professor é um mediador do processo. Veja mais sobre a metodologia freiriana nesta matéria.

Metodologia de ensino Waldorf

Idealizada pelo filósofo austríaco Rudolf Steiner, é uma abordagem que acredita que ensino e atividades corporais, manuais e artesanais ajudam no aprendizado e desenvolvimento do indivíduo. Esta metodologia de ensino divide os alunos em faixa etária, e desta forma, a escola não é seriada.

O foco da abordagem é o desenvolvimento e autonomia da criança e há várias técnicas e recursos para isso, como as bonecas Waldorf, o contato com a natureza, a educação artística, etc. Além da escola, a família e a comunidade também têm impacto no aprendizado. É uma das tendências que mais têm dado resultados atualmente. Veja nesta matéria a metodologia Waldorf com mais profundidade.

A importância de uma metodologia de ensino na educação tecnológica

Uma metodologia de ensino deve sempre considerar as necessidades dos alunos e o seu contexto. Vivemos em um momento histórico pautado por recursos tecnológicos e pelo universo digital. A todo momento as pessoas fazem conexões com as outras por meio da tecnologia e desenvolvem atividades em espaços digitais. As novas gerações já nascem neste contexto.

Atualmente, há metodologias de ensinam que amparam o ensino de tecnologia e preparam as crianças para um futuro que ainda ninguém sabe qual é, mas em que a única certeza é que será tecnológico. A educação de tecnologia é matéria obrigatória em muitos países, onde as crianças são cidadãs, aprendem a usar a tecnologia, e mais que isso, aprendem a criá-la. No Brasil, no ensino regular, ainda temos um grande déficit, tanto de educação com uso de tecnologias quanto para o ensino tecnológico propriamente dito.

Para isso, ter um método de ensino alinhado com as teorias e boas práticas dos paradigmas atuais, que motive a livre iniciativa da criança, a sua autonomia, com um ambiente criativo e acolhedor e métodos que apresentem resultados em todas as fases do seu aprendizado é essencial para a educação tecnológica.

O que é preciso para aprender tecnologia?

O primeiro passo é reconhecer que a criança ainda em seus anos iniciais faz parte em um mundo que usa a tecnologia digital e estes conhecimentos podem ser construídos junto com a ela. 

Metodologia de ensino assertiva

Além de uma metodologia de ensino alinhada com esta proposta, é preciso que a comunidade escolar esteja engajada neste sentido: pais, escola, alunos e comunidade escolar. Muitos dos métodos que citamos nesta matéria trazem recursos interessantes para criar uma pauta de ensino tecnológico.

Recursos

A estrutura física e tecnológica, bem como um ambiente que propicie a interação com as tecnologias, a criatividade e a autonomia do aluno também é parte importante do processo. 

O respeito, a participação e a afetividade são recursos imateriais essenciais para que haja diálogo e troca de experiências entre os participantes e a geração de novos conhecimentos. A capacitação constante é outra preocupação entre aqueles que produzem e participam do projeto de ensino tecnológico, sejam educadores, pais e até mesmo alunos.

Mapeando as necessidades

Entender as necessidades dos alunos em cada fase do seu desenvolvimento para assim criar cursos, matérias e iniciativas educacionais é outra demanda que irá nortear o projeto de ensino de tecnologia, assim como mapear as oportunidades e contingências para criar um plano de ensino tecnológico.

Tecnologia para novas possibilidades

Vale ressaltar que o ensino tecnológico deve ser parte das demandas de desenvolvimento da criança, e não vem para substituir outras necessidades ou matérias do seu contexto. É errôneo pensar que a prática de leitura em livros deve deixar de existir devido aos recursos digitais ou que a interação humana deixará de existir porque cada vez mais utilizamos estes meios para interagir. Estes são alguns mitos muito comuns. 

A tecnologia digital complementa, expande as possibilidades, traz oportunidades, vislumbrando um futuro mais tecnológico, mas no centro da transformação está o ser humano, as suas perspectivas e o seu desenvolvimento.

Por que estudar com a I Do Code?

A I Do Code é uma das primeiras escola de programação e tecnologia dedicada às crianças e jovens de 7 a 17 anos no país e tem um modelo único, com unidades físicas, na qual oferecemos cursos presenciais. Confira nesta matéria 5 benefícios sobre a tecnologia na educação.

A metodologia de ensino adotada pela I Do Code privilegia estratégias como a educação por projetos, gamificação, storytelling, aprendizado ativo, prático e dinâmico, estimular erros, relação próxima entre professor e aluno e outros recursos que respondem aos anseios atuais por um ensino de tecnologia.

São aulas orientadas de 90 minutos uma vez por semana com práticas de ensino testadas, de alta performance, em que a criança é instigada a desenvolver o raciocínio lógico, a criatividade, a concentração e a solução de problemas. Os cursos da I Do Code podem ser conferidos aqui.

Os especialistas I Do Code acreditam que aprender tecnologia pode ser divertido e pode despertar ou desenvolver outras competências e habilidades importantes para o desenvolvimento da criança e até mesmo para o seu futuro profissional. 

Veja também:
Gostou das dicas sobre metodologia de ensino? Deixe um comentário com as suas dúvidas e sugestões! Siga a I Do Code no Instagram! Visite o nosso site e o canal I Do Code no Youtube!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta