Processo cognitivo: como funciona a interpretação de informações?

Processo cognitivo

Ao realizar ações, tomar decisões ou simplesmente pensar sobre algo, não nos atemos ao fato de que um intenso processo cognitivo está acontecendo em nossa cabeça. Mas, afinal, o que é cognitivo?

A cognação é o nome dado a essa atividade cerebral que realizamos cotidianamente. Em outras palavras, toda a interpretação das informações armazenadas pelo cérebro é de competência cognitiva.

Esse processo é o que nos permite entender as situações e nos posicionar em relação a elas de alguma forma; sem ele, seríamos incapazes de assimilar, interpretar e imaginar coisas.

Entenda, neste artigo, como funciona o processo cognitivo e como ele influi diretamente no comportamento e emoções das crianças e jovens.

Quais são os processos cognitivos?

Antes de tudo, é importante saber quais são os processos cognitivos básicos e como atuam na análise das informações retidas pelo cérebro.

São eles:

  1. percepção
  2. linguagem
  3. atenção
  4. memória
  5. pensamento

Cada um desses processos mobiliza atividades cerebrais básicas, com objetivos distintos, e nos permite compreender, aprender, criar e armazenar ideias.

Teoria Comportamental

Uma visão muito interessante sobre a cognição são as diferentes teorias que se relacionam a ela. Um exemplo é a Teoria Cognitiva Comportamental, que parte da análise de como as emoções influenciam nossa percepção.

O controle da ação cognitiva na geração de emoções mais positivas é uma estratégia muito utilizada nas sessões terapêuticas. Ela trabalha a capacidade de lidar com situações adversas, melhorando a competência individual em controlar as emoções e tomar decisões melhores com base nisso.

Essa é uma parte importante da teoria cognitiva, porque o controle emocional é um pilar para várias decisões e atitudes que precisamos tomar durante a vida.

Sem ele, muitas vezes podemos fazer interpretações equivocadas, agir inadequadamente, nos colocando em situações complicadas na vida pessoal e profissional!

Aspecto cognitivo da aprendizagem

Quando aprendemos algo, desde tarefas muito simples como uma receita de bolo a uma fórmula complexa de física, estamos trabalhando o que é chamado de desenvolvimento cognitivo.

Esse é um processo de aperfeiçoamento de habilidades realizado pelo cérebro, que nos permite criar autonomia em relação a diversas coisas.

Na aprendizagem escolar, por exemplo, é muito importante observar a evolução desse desenvolvimento, a fim de mapear possíveis dificuldades da criança ou jovem em interpretar ou reter as informações passadas.

Defasagens escolares podem estar relacionadas a algum problema cognitivo, que precisa ser detectado e tratado corretamente. Uma alternativa simples que pode ser empregada para estimular o desenvolvimento infantojuvenil é o uso de jogos e brincadeiras.

Perfil Cognitivo

Uma discussão muito importante em relação ao processo cognitivo está relacionada aos perfis de cognição.

Hoje, a ideia de valorização da diversidade, seja ela sexual, racial ou outras, é bastante aceita e difundida na sociedade. Porém, pouco se reflete que isso também está associado à questão cognitiva!

Os perfis cognitivos são padrões de assimilação e processamento de informações.

É claro que, em mundo tão diverso, as formas de captar e entender as coisas não seriam iguais! As pessoas são complexas, por isso é tão desafiador construir, manter e romper com relações.

Daí a importância em se estudar e entender sobre a pluralidade cognitiva, saber que existem limites delimitáveis e que isso é crucial para uma boa desenvoltura social.

Um exemplo prático da aplicabilidade desse conceito é a formação de equipes nas empresas. O método mais assertivo a ser empregado envolve a seleção de pessoas de diferentes perfis cognitivos, de forma que um mesmo problema possa ser interpretado e solucionado de diferentes formas pelas pessoas. Exatamente porque elas pensam diferente!

Isso também vem sendo trabalhado nas escolas por profissionais da educação. É uma tendência nova, mas em ascensão, a de valorizar diferentes “inteligências” dos alunos.

Seu filho pode ser excelente em matemática, já o colega entende tudo de artes… Imagine o que um grupo de alunos bons em diferentes assuntos não consegue produzir de trabalho?

Aprimorando habilidades

Agora que você tem uma boa noção do que é cognitivo e como isso é trabalhado diariamente, é hora de aprofundar mais na reflexão!

Com todas essas informações, é interessante se atentar mais aos padrões de comportamento e percepção de seu filho.

Isso pode ajudá-lo a desenvolver cada vez mais habilidades, sejam elas de competência pessoal, como a timidez, a dificuldade de se expressar com clareza, entre outros; ou de competência escolar, como a dificuldade em aprender álgebra, gramática ou programação!

De toda forma, é crucial que você acolha o perfil cognitivo de seu filho e o incentive a desenvolver as habilidades menos evidentes! Esse processo ocorrerá naturalmente com estímulo, de forma que não haja conflitos ou danos à criança!

banner kit habilidades do futuro: menino programando

Queremos preparar nossos filhos para vários desafios da vida, e partir do princípio do entender e motivar é um excelente caminho. A forma como a comunicação será feita com eles fará toda diferença, invista nisso!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: