Dislexia: sintomas, causas, diagnóstico e tratamentos

dislexia

Conheça em detalhes o que é a dislexia e como identificá-la e tratá-la do modo adequado.

A dislexia é considerada um transtorno na linguagem de origem neurobiológica, que afeta principalmente a capacidade leitora e escrita. Essas habilidades são processos separados, mas unidos ao mesmo tempo, uma vez que ao escrevermos somos obrigados a utilizar as nossas habilidades leitoras.

Além disso, é também um dos transtornos de aprendizagem que se dá com mais frequência no público infantil, com uma prevalência de 5% a 10%, ainda que, segundo alguns estudos, estes dados podem chegar a alcançar 17,5%. 

Desta forma, a dislexia, sem sombra de dúvidas, representa um problema muito importante, devido as suas consequências no âmbito educacional e repercussões emocionais nas crianças.

Sintomas da Dislexia

Geralmente, a dislexia passa a ser detectada quando a criança começa a introduzir-se no processo de aprendizagem de leitura e escrita na escola, ou seja, dos 3 até os 7 anos aproximadamente. Sendo assim, é imprescindível buscar verificar o quanto antes os sintomas da dislexia para realização de tratamento adequado.

Os sintomas que caracterizam a dislexia são os seguintes:

  •  O principal sintoma é quando a pessoa apresenta uma grande dificuldade durante o processo de aprendizagem e na aquisição da leitura, que é uma dificuldade inesperada em relação a outras habilidades que mostra a pessoa em suas circunstâncias educacionais.
  •  O segundo sintoma mais comum entre as pessoas que sofrem com o transtorno é o baixo rendimento escolar presente em todos os componentes que exigem leitura como base de aprendizagem, uma vez que as dificuldades que envolvem leitura e escrita implicam maior dificuldade no processo de aprendizagem de certos conteúdos ou conceitos.

Por exemplo: podemos ver algumas crianças com problemas no ritmo e velocidade da aprendizagem de linguagem escrita, apresentando dificuldades para copiar conteúdos passados do quadro ao caderno, entre outros.

Além disso, é preciso levar em consideração que a leitura e a escrita são essenciais na maioria dos componentes estudados na escola, seja na leitura de livros, leitura de questões problema, escrever respostas em uma prova, etc.

  • Déficit fonológico: a grande maioria das pessoas que sofrem de dislexia, padecem ao mesmo tempo de déficit fonológico, ou seja, um déficit em algum aspecto da representação e processamento dos sons da linguagem. Este pode ocorrer devido a uma habilidade débil para poder atender e manipular conscientemente os sons da língua, a uma memória verbal em curto prazo que limite a capacidade de manter ativa momentaneamente as representações fonológicas, e/ou uma habilidade lenta para recuperar as formas fonológicas das palavras com o objetivo de empreender a articulação da fala.
  • Problemas de processamento auditivo, em especial o processamento rápido dos sons;
  • Problemas visuais;
  • Problemas motores;
  • Dificuldades para prestar atenção: Leia mais sobre esse assunto em Seu filho realmente tem déficit de atenção?
  •  Dificuldades na leitura, escrita, ortografia, visão, coordenação motora, matemáticas, compreensão do tempo, situar-se no espaço e limitação da capacidade de integrar informação que são entendidas de forma isolada. Ou seja, confundem letras, trocam sílabas, suprimem ou adicionam letras ou palavras, apresentam dificuldade para memorizar regras ortográficas e apresentam dificuldade de motricidade fina e grossa.

Causas da Dislexia

Atualmente e apesar da grande quantidade de estudos realizados sobre a dislexia, não se conhece com exatidão as causas ou origens desse transtorno. Desta forma, podemos mencionar como possíveis causas da dislexia os seguintes fatores:

  • Fatores hereditários: se houverem pessoas na família que sofram de dislexia, a pessoa terá maior possibilidade de padecer de dislexia;
  • Genética: outra das causas da dislexia são os fatores genéticos;
  • Lesões cerebrais;
  • Problemas emocionais;
  • Problemas na orientação de sequências: outras das causas da dislexia são os problemas na orientação de sequências. A orientação de sequências permite que as pessoas possam ordenar objetos, acontecimentos (passado, presente e futuro), entre outros. Quem sofre de dislexia terá dificuldade para orientar-se nesse sentido. É importante que pais e alunos trabalhem junto às crianças a importância do erro para o aprendizado, evitando que elas acabem se frustrando em meio ao processo de aprendizagem em função da dislexia.
  • Problemas de percepção visual;
  • Baixa consciência fonológica, entre outros.

Como é feito o diagnóstico?

Para diagnosticar a dislexia, é necessário realizar uma avaliação prévia de todos os processos comportamentais e cognitivos, envolvidos na alfabetização, cujos resultados devem atender aos critérios estabelecidos de exclusão, discrepância e especificidade.

Sendo assim, o diagnóstico da dislexia é um procedimento clínico e precisa ser realizado por uma equipe multiprofissional, ou seja, nenhum profissional deve chegar a essa conclusão sem consultar outros especialistas.

Tratamento

Com relação ao tratamento para a dislexia são necessárias algumas considerações. Em primeiro lugar, é importante atender a dislexia ainda cedo, uma vez que, tanto a leitura como a escrita são processos essenciais no desenvolvimento humano.

A dislexia não é um transtorno que possui cura, mas é possível tratá-la, aplicando distintos enfoques terapêuticos segundo a idade da pessoa. Geralmente as medidas tomadas de tratamento estão baseadas em intervenções sobre a linguagem, a fonologia e a leitura.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta