Cyberbullying: 11 coisas que você precisa saber sobre

cyberbullying

Hoje em dia, é fundamental que os pais saibam o que é cyberbullying e que compreendam o que passa na cabeça de uma criança, adolescente ou jovem, quando este sofre esse tipo de assédio ou humilhação psicológica.

Sendo assim, confira no artigo de hoje 11 coisas que você precisa saber sobre Cyberbullying e ajude o seu filho a evitar e/ou a lidar com esse tipo de ocorrência, que infelizmente está cada vez mais frequente no universo da web, e sendo assim, precisamos aprender a lidar com casos de cyberbullying, a fim de não prejudicarmos a saúde e bem estar das nossas crianças.

O que é o Cyberbullying?

O Cyberbullying nada mais é do que o uso dos meios telemáticos, tais como a internet, celulares, vídeo games online principalmente, entre outros, em que se realizam uma espécie de assédio, humilhação, abuso psicológico sobre outrem.

Muitas vezes, a criança recebe via internet palavras e ações nocivas, tais como:

  • Receber mensagens nas redes sociais com dizeres agressivos;
  • Ver suas fotos vergonhosas serem compartilhadas de modo cômico por outras pessoas;
  • Histórias falsas são difundidas na web a seu respeito;
  • A criança é excluída ou ignorada propositalmente nos grupos, entre outros.

#1- O Cyberbullying está crescendo cada vez mais

É preciso que os pais estejam cada vez mais alertas com relação ao acesso das crianças ao universo da internet, uma vez que o cyberbullying está ganhando cada vez mais força.

Para que tenhamos uma noção, estima-se que uma a cada cinco crianças de 13 a 18 anos já recebeu algum tipo de cyberbullying, e agora com a expansão do mesmo, vemos repercutir em faixas etárias menores, o que é extremamente preocupante.

#2- O Cyberbullying afeta a autoestima

Quando uma criança, adolescente ou jovem é vítima de Cyberbullying, geralmente uma das primeiras coisas que vemos afetada é a sua autoestima, chegando, inclusive, em situações em nas quais a criança se culpa pela situação vivenciada.

 A insegurança, sentimentos de falta de competência, vergonha e até mesmo a depressão podem surgir em função do Cyberbullying.

Se não contornarmos essa situação na infância, ela acabará afetando a saúde física e emocional do sujeito até a fase adulta. Logo, não permita que o Bullying seja algo para a vida toda!

#3- O Cyberbullying afeta o rendimento escolar

As crianças que sofrem cyberbullying tendem a querer evitar a escola, acabam desenvolvendo problemas de concentração em sala de aula e em casos mais graves, acabam abandonando a escola.

Para aprofundar essa questão, leia Notas Baixas na Escola: como resolver em 5 passos.

#4 – É preciso ensinar as crianças sobre o Cyberbullying e incentivá-las a informar seus pais quando isso ocorrer

Ensine os seus filhos a sempre informar-lhes quando receberem mensagens abusivas e agressivas através do ciberespaço.

#5 – o Cyberbullying pode ocorrer a qualquer momento

Não podemos esquecer que a internet nunca dorme, e sendo assim, as nossas crianças, adolescentes e jovens estão expostos a todo o momento e apenas alguns cliques podem afetá-los profundamente.

#6- Ensine os seus filhos sobre o que pode, ou não, ser compartilhado na web

Faça com que seus filhos estejam conscientes dos conteúdos que compartilham e assim estará evitando dar margem ao cyberbullying.

#7- Conheça os canais na web que o seu filho frequenta: monitore-o!

É preciso que os pais estejam sempre a par de quais aplicativos seus filhos menores utilizam, redes sociais, jogos online, e saibam a que estariam expostos nesses meios.

#8- Leve a sério qualquer reclamação do seu filho sobre algum comentário que recebeu ou coisas do gênero

Os pais precisam estar atentos às mudanças de conduta ou estado de ânimo dos menores de idade, a fim de poder ajudá-los e fazer os encaminhamentos necessários para solucionar toda e qualquer problemática que envolve o cyberbullying.

#9- Fazer uso de ferramentas para bloquear as pessoas que praticam cyberbullying

Hoje em dia as redes sociais, por exemplo, possuem algumas ferramentas que os pais podem fazer uso na hora de identificar as pessoas que praticam cyberbullying e bloquear esses sujeitos, sem que seus filhos percebam, ou inclusive o praticante.

Isso foi desenvolvido, em função de que uma das principais características das pessoas que recebem o cyberbullying é justamente não querer se desvincular das redes sociais, a fim de acompanhar tudo o que estão comentando sobre elas.

#10 – Diante de um caso de cyberbullying, jamais fomente a vingança

Os pais precisam apoiar seus filhos e buscar soluções viáveis para que o caso de cyberbullying seja resolvido de modo saudável e sem fomentar a vingança, uma vez que isso acarreta em mais violência, e não soluciona esse tipo de problema, muito pelo contrário, lhe dá uma dimensão ainda maior.

#11- Cuide para que seu filho, que sofreu cyberbullying, não venha a praticar isso com outras crianças

Um caso que é bastante preocupante quando lidamos com cyberbullying é quando a criança que sofreu esse tipo de abuso acaba lidando com essa problemática do modo errado, ou seja, praticando com outros o que sofreu, como uma forma de minimizar os efeitos do cyberbullying sobre si mesmo.

Nessas circunstâncias, é essencial que os pais se façam presentes e mantenham sempre um olhar atento sobre os seus filhos e principalmente, um diálogo aberto para identificar e contornar a situação o mais breve possível.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta