Curso de programação: o que ensina?

tela de computador com programação em texto

Já falamos bastante aqui na I Do Code sobre a importância de fazer um curso de programação. Já falamos sobre a importância da programação para o mercado de trabalho, para a resolução de problemas e para o dia a dia. Porém, você sabe o que exatamente é ensinado em um curso de programação?

É claro, nele você aprende a programar. Mas o que programar significa exatamente? A questão é que programar envolve muitas coisas, desde o conhecimento da lógica de programação até realmente botar a mão na massa e desenvolver seus próprios programas.

Quer saber como é o processo de aprender a programar? Confira!

Um curso de programação começa por lógica de programação

Lógica de programação é, claro, a parte mais básica da programação, e também a mais importante. Aprendendo a lógica, fica muito fácil aplicar os conceitos de programação às mais diversas situações, sejam elas aprender uma nova linguagem, organizar o próprio tempo, ou até criar uma nova receita de bolo.

Sendo um assunto inicial, em um curso de programação ela normalmente é ensinada antes dos alunos serem introduzidos às linguagens de programação em si. Isso é comumente feito através do uso de dinâmicas, atividades práticas e até de pseudocódigo, isto é, um versão simplificada do que se espera de uma linguagem de programação, criada para ser mais legível (como o Portugol, Scratch, Construct).

O objetivo desse contato inicial com a lógica da programação é entender seus conceitos fundamentais, como a ordenação e divisão de tarefas e o uso de recursos limitados (isto é, de comandos padronizados).

Uma ou mais linguagens de programação

O ensino de linguagens de programação é a parte principal de um curso de programação. Afinal, é com elas que é possível fazer programas e aplicativos.

Existe um grande número de linguagens de programação espalhadas pelo mundo, cada uma com suas próprias características e gama de aplicações. Diferentes cursos terão diferentes abordagens e especialidades, e com isso ensinarão diferentes línguas. Por exemplo, cursos mais avançados e voltados para a Web podem ensinar Javascript e PHP. Cursos de desenvolvimento de jogos ensinam C++. Cursos voltados para celulares e tablets ensinam Java e Swift.

Em cursos básicos, o mais comum é que seja ensinado C++ ou Python. C++ é uma linguagem mais flexível, ainda que seja bem rígida, que permite que os alunos aprendam desde conceitos mais básicos como alocação de memória a conceitos mais avançados como programação orientada a objetos. O Python, por outro lado, é uma linguagem mais amigável, mas poderosa, que tende a ser mais facilmente aprendida por iniciantes.

Algoritmos comuns são parte importante de um curso de programação

Parte do currículo de um curso de programação é o ensino de “padrões de projeto”, isto é, códigos que tendem a ser implementados com frequência para resolver determinado problema. Alguns padrões comuns são: algoritmos de ordenação, árvores de dados, máquinas de estado, entre outros.

Algo também muito importante é ensinar a usar bibliotecas. Bibliotecas são conjuntos de códigos de um determinada linguagem que buscam criar versões otimizadas de algoritmos e padrões de projeto, com o objetivo de serem adicionadas a outros programas. Em geral, é muito mais fácil adicionar um biblioteca a um programa do que tentar implementar o algoritmo por si só. E o resultado tende a ser melhor também, com maiores velocidades de execução.

O maior uso e velocidade da internet e maiores velocidades dos processadores tornou o uso de bibliotecas muito comum na programação. Toda linguagem costuma vir com seus próprios pacotes padrão de bibliotecas, adicionando funções matemáticas, de gerenciamento de dados, de recebimento e visualização de dados, entre outros.

Porém, essas bibliotecas costumam não conseguir fazer coisas como mostrar gráficos 2D ou 3D, realizar simulações científicas e enviar dados a outros computadores através da internet. Para conseguir fazer isso, é preciso instalar bibliotecas que permitam isso, e também aprender a usá-las. Toda biblioteca apresenta suas próprias peculiaridades, e algumas são mais fáceis de aprender que outras. Da mesma forma, cada linguagem tem sua própria processo para instalá-las, sendo alguns mais fáceis que outros.

Felizmente, em um curso de programação, especialmente em um especializado, é comum que se ensine a usar e instalar bibliotecas. Por exemplo, para desenvolvimento de jogos se ensina a usar bibliotecas de gráficos 2D e 3D, para programar um Arduino é preciso conhecer a biblioteca dele, entre outros.

Algumas aplicações da programação

É bem comum também que um curso de programação apresente essa área na prática. Linguagem e lógica de programação são conceitos muito abstratos, e normalmente aprendê-las por elas mesmas pode deixar os alunos sem saber muito bem como aplicá-las em seu dia a dia ou usá-las para desenvolver os projetos que têm em mente, especialmente em cursos básicos. Por isso, a realização de projetos e trabalhos, tanto em grupo quanto individualmente, é importante para mostrar a programação na prática.

O conteúdo desses projetos e trabalhos varia bastante de acordo com o objetivo do curso. Em cursos especializados isso é bem intuitivo: desenvolver um jogo simples, automatizar uma planilha do Excel, programar um robô, criar um aplicativo, entre outros.

banner minicurso planilhas: imagem de uma planilha com gráficos

Em cursos básicos, normalmente o objetivo é fazer algo ainda mais simples. Nesses cursos, os alunos somente aprendem a fazer programas que funcionam por linha de comando, pois implementar interfaces gráficas é um assunto um pouco mais complexo dependendo da linguagem. Um projeto comum é a criação de um banco de dados simples, visto que isso pode envolver a interação entre conceitos mais avançados do curso, como interação com o usuário, ordenação, alocação de memória, leitura e escrita de arquivos, entre outros.

Como você deve ter percebido, um curso de programação ensina bastante coisa! É uma área bem complicada. Por isso, quanto antes começar a aprender, melhor. Que tal dar uma olhada nos cursos da I Do Code?

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: