STEM: Por que é importante estimular o aprendizado multidisciplinar?

STEM e Multidisciplinaridade

Atualmente, muito tem-se ouvido falar sobre abordagens como o STEM, acrônimo em inglês para Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática, que combinam disciplinas no desenvolvimento de projetos e são capazes de estimular habilidades individuais e sociais nos alunos, induzindo-os a uma experiência participativa e multidisciplinar e garantindo um bom desenvolvimento cognitivo e social. 

De fato, essas abordagens acompanham os avanços cada vez mais velozes e contínuos da tecnologia, que precisam de sujeitos cada vez mais complexos, exigindo das pessoas habilidades que dialoguem com mais de um ramo de conhecimento e que saibam interagir com a multidisciplinaridade. E por isso podem surgir as perguntas: afinal, o que é aprendizado multidisciplinar e por que ele é importante?

O que é o aprendizado multidisciplinar?

Nas grades curriculares comuns de todos os níveis de ensino, encontramos a separação de conteúdos através de disciplinas, como ocorre com as disciplinas presentes no STEM. Essa divisão é importante para possibilitar uma organização e sistematização de conteúdos de acordo com as suas características, mas em um ambiente de sala de aula criativo outras práticas podem se mostrar necessárias, como a multidisciplinaridade. 

Como o próprio termo “multi” já indica, a metodologia multidisciplinar envolve mais de uma disciplina, na qual as disciplinas são fontes de conhecimento distintas e separadas entre si através das quais os alunos podem alimentar-se para alcançar um objetivo que envolve conceitos advindos de ciências diferentes. 

Muitas vezes o termo multidisciplinaridade é confundido com a interdisciplinaridade, ambos são métodos importantes de aprendizado, mas enquanto no primeiro as disciplinas mantém as próprias características e servem apenas como fontes diferentes de aprendizado que levam a um resultado, no segundo as metodologias das disciplinas se misturam e é possível estudar uma disciplina a partir da outra. 

A multidisciplinaridade em si pode estimular um conhecimento mais profundo de um tema por parte do aluno, pelo fato de que ele vai entrar em contato com esse tema através de mais de uma disciplina, e ganhará um novo ponto de vista temático a cada disciplina. 

banner lightbot: imagem do jogo

Por que estimular o aprendizado multidisciplinar?

O aprendizado multidisciplinar incentiva que o estudante tenha uma base de conhecimento pautada em mais de uma ciência, adquirindo a capacidade de refletir sobre a realidade que o rodeia a partir de pontos de vista diferentes, que se complementam ou se opõem, desenvolvendo a habilidade de avaliar criativamente e criticamente um problema e procurar uma solução para o mesmo.

A multidisciplinaridade também favorece a formação de uma personalidade científica e empreendedora no aluno, fazendo com que ele aprenda a pesquisar em mais de uma fonte e sempre questionar a existência de apenas uma resposta verdadeira, alcançando competência suficiente para empreender os próprios estudos, promover e gerenciar novas ideias, por isso a importância dessa prática no cotidiano educacional do estudante.

O STEM e a multidisciplinaridade

O STEM é uma abordagem educacional que visa a criação de um ambiente de relacionamento entre alunos e professores de baixa hierarquia e de produção de conhecimento em conjunto, com a criação de grupos de trabalho e o uso da metodologia de projetos. Um dos principais paradigmas dessa metodologia é o aprendizado prático, participativo. 

Em metodologias como o STEM, a multidisciplinaridade e a interdisciplinaridade podem ser utilizadas em diferentes contextos. De modo interdisciplinar, as disciplinas Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática não são separadas, mas trabalhadas em conjunto. É possível propor um projeto onde os alunos combinam os conhecimentos em todo o processo, sem que haja uma pesquisa que identifique qual a disciplina específica de cada conteúdo. 

Na criação de um programa de computador, por exemplo, a tecnologia é utilizada de modo interdisciplinar com a matemática e com a linguagem, bem como com a engenharia (que é a capacidade de confeccionar um projeto) e a ciência da procura por uma solução, um resultado para um problema.

No caso da multidisciplinaridade, combinada com o STEM ela pode ser utilizada para incentivar os alunos a realizarem pesquisas inteligentes em fontes seguras e diversificadas, utilizando a criatividade e o trabalho em conjunto para planejar um projeto que seja incrementado a cada nova disciplina abordada. Entre as competências que podem ser desenvolvidas com essa metodologia estão:

  • Autonomia e autodidatismo
  • Capacidade de trabalhar em equipe
  • Capacidade de se comunicar e expor ideias
  • Habilidades de apresentação e gerenciamento de projetos
  • Capacidade de realizar conexões entre os conteúdos que estuda e a realidade.

Possibilidades práticas com o STEM

Agora que você já entendeu o que é e qual a importância do aprendizado multidisciplinar e sua relação com o STEM, trouxemos alguns exemplos de atividades e projetos que envolvem essa abordagem de modo multidisciplinar: 

  • Programação – na programação há o uso da tecnologia, a partir das linguagens de programação, por exemplo, da matemática  (operações lógicas e possíveis cálculos), da engenharia, no desenvolvimento e gerenciamento da estrutura do código, para que o programa cumpra com o esperado, e da ciência, que abarca a pesquisa inicial pela solução de um problema através do software ou jogo que será desenvolvido. 
  • Robótica – A robótica envolve as 4 disciplinas do STEM de modo semelhante à programação, ampliando a tecnologia para o uso de circuitos elétricos em placas como o Arduíno, junto com outros possíveis materiais, como as rodas de plástico do exemplo de robô feito com arduíno da imagem abaixo. 
STEM: robô feito em Arduino
Robô em arduíno
  • Construção de maquetes – Costumamos aliar a palavra tecnologia com computadores e eletrônicos, mas ela vai além disso. Na construção de maquetes ou protótipos com uma temática específica, como uma maquete onde alunos pensem em melhorias no ambiente escolar, ou um vulcão de bicarbonato, por exemplo, podem envolver as quatro disciplinas do STEM mesmo sem utilizar eletrônicos, substituindo-os por tesoura, cola, tinta e outros materiais.

Gostou do artigo? Então mantenha-se informado sobre educação tecnológica: siga-nos no Instagram e assine nossa newsletter!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: