O que fazer quando a criança passa muito tempo na internet/jogos?

Menino-passando-o-tempo-na-internet

As férias estão chegando e com elas vem uma preocupação constante: as crianças vão passar muito tempo na internet, no computador e/ou no videogame… O que fazer?

É importante que as crianças e adolescentes tenham esse tempo de descanso e descontração, e o mundo virtual normalmente é o que elas andam preferindo ultimamente. Porém, esse tempo também deve ser melhor aproveitado para que elas desenvolvam habilidades que serão essenciais para elas no futuro.

Para fazer com que elas aproveitem melhor esse tempo livre, é preciso ser criativo e encontrar algo que capte a atenção delas bem mais do que os jogos e a internet. Está sem ideia? Então vamos te dar algumas dicas:

Dica 1: Aprendendo robótica na prática

A robótica é um campo em constante desenvolvimento e que se torna cada vez mais crucial para o futuro da humanidade. Ela é uma coleção de diversos campos, como Computação, Engenharia e Psicologia, unidos em torno do desejo de maior automatização e maior conforto para nós, seres humanos. Ela é encontrada tanto em máquinas industriais complexas como nas smart homes mais simples.

Com todo esse desenvolvimento, também ficou muito mais fácil de aprender sobre robótica e criar seus próprios protótipos e mini-robôs.

Você com certeza já ouviu falar sobre o Lego Mindstorms, certo? Usando a simplicidade do Lego e a modularidade e facilidade de programação de seu controlador, o Mindstorms, fica muito fácil de entrar nesse mundo de cabeça e começar a criar coisas geniais.

Além disso, há também o Arduino e o Raspberry Pi, que contam com uma grande gama de periféricos e acessórios que permitem uma infinidade de possibilidades.

Com um presente desses, seu filho vai passar tempo na internet só para procurar manuais e vídeos instrucionais!

Dica 2: Desenvolvendo seus próprios jogos

E se você nunca mais tivesse que comprar um jogo para seu filho? Se ele passa muito tempo na internet, gosta bastante de jogos e de tecnologia, é possível que ele já tenha se aventurado a tentar criar os próprios jogos.

Porém, aprender por conta própria tem uma curva de aprendizado muito íngreme. É possível que ele tenha tentado e desistido, por ser bem difícil fazer tudo do zero. Um jogo apresenta muitas partes, como: programação, arte, modelagem 3D, trilha sonora e efeitos sonoros. Jogos mais complexos precisam de um grande time para serem feitos.

E se você o matriculasse em um curso de desenvolvimento de jogos? Cursos como esse estão se popularizando e se tornando disponíveis para todas as idades. Você pode encontrá-los até em faculdades! Com a popularização atual dos jogos indie e a existência de várias plataformas para a divulgação deles, além de várias competições que acontecem o ano todo, a criação de jogos pode ganhar o mundo.

Com um curso desses, é capaz de passar bem menos tempo na internet e nos jogos (a não ser que seja o que ele mesmo está criando).

Dica 3: iniciando no mundo da programação

Se seu filho é muito novo, talvez colocá-lo em um curso de jogos ou de robótica que utilizem de linguagens mais complexas seja um pouco intimidador para ele. Os cursos utilizam conceitos mais avançados e precisam de trabalho em equipe e dedicação.

Porém, se você ainda assim quer que ele aprenda conceitos importantes da tecnologia, que podem inclusive ser cruciais para o desempenho acadêmico e profissional dele no futuro, e claro, passe menos tempo na internet, que tal inscrevê-lo em um curso de programação básica?

Já se foi a época em que programação era algo difícil de se aprender. O temido COBOL está se tornando coisa do passado, as línguas mais simples não se limitam mais a aplicações mais simples, como era o caso do BASIC, e, atualmente, existem diversos tipos de métodos e infraestrutura para ensinar programação para crianças de quase qualquer idade.

Para trazer um exemplo, na I Do Code, ensinamos programação para crianças através da programação em blocos, sendo algo mais intuitivo para a idade. Para adolescentes, ensinamos linguagens de programação mais modernas como o Python, que oferecem facilidade de uso, rapidez, robustez e bibliotecas para as mais diversas aplicações, desde cálculos complexos usados em pesquisa acadêmica, até a criação de jogos 2D e 3D.

Apesar da linguagem Python ser muito boa, outras linguagens mais robustas são usadas com muito mais frequência, especialmente na criação de jogos. Dentre elas estão: C++, Objective-C (para iPhone) e Java (para Android).

Mas, claro, tudo a seu tempo. Ao aprender a programar em uma linguagem, ficará muito mais fácil de se aprender a programar nas outras.

Uma ótima forma de fazê-lo passar menos tempo na internet, não acha?

Não tenha medo da tecnologia

Muitas vezes, quando os pais vêem os filhos passando muito tempo na internet e nos jogos nas férias, eles pensam que o melhor é tirá-los de frente da tela para que façam alguma outra coisa. Mas isso nem sempre é a melhor solução.

As crianças de hoje já nascem “grudadas” ao mundo digital. Ao invés de tentar tirá-las dele, por que não usar isso para o benefício delas? Já é fato que as profissões do futuro estarão diretamente ligadas à tecnologia, portanto, é crucial que as novas gerações aprendam sobre programação e tecnologia, o que já é obrigatório em alguns países a fora.

Gostou das dicas para tornar o tempo das crianças na tecnologia mais produtivo? Deixe um comentário com as suas dúvidas e sugestões! Siga a I Do Code no Instagram! Visite o nosso site e o canal I Do Code no Youtube!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta