STEM: conheça o papel dessa abordagem na inovação da educação

imagem sigla stem

Se você acompanha o blog da I do Code ou costuma consumir conteúdos voltados à temática da educação, já deve ter lido algo sobre Stem, a sigla em inglês para “Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática” que propõe  uma abordagem pedagógica inovadora e traz muitos benefícios à educação. 

Enquanto os modelos tradicionais de ensino centralizam o professor no processo de aprendizado e excluem as tecnologias da informação, considerando-as como vilãs na sala de aula, as escolas modernas percebem as tecnologias digitais como elementos que serão cada vez mais essenciais no futuro da humanidade e buscam abordagens alternativas de ensino que visem a centralização dos alunos e tenham um enfoque especial na educação tecnológica

É nesse processo de inovação e de um olhar para o futuro da humanidade que entra a abordagem Stem. Ao considerar a interdisciplinaridade, a liberdade criativa e o trabalho em grupo como práticas importantes dentro da sala de aula, o Stem possibilita que os alunos adquiram autonomia, desenvolvendo o próprio senso crítico e criativo através da execução de projetos

Stem: uma abordagem inclusiva

Além de propor que as disciplinas que compõem a sigla sejam trabalhadas em conjunto e de maneira prática, a abordagem Stem tem como fundamento o trabalho em equipe. Assim, os professores podem desenvolver questões que envolvam melhorias no mundo real e que possibilitem que todos os integrantes da equipe possam sentir-se ouvidos, já que todos têm o mesmo nível hierárquico de opinião, diferente de quando o foco de ensino é no professor. 

Por considerar questões socioeconômicas e ambientais em meio às propostas de inovação tecnológica e multidisciplinaridade, o Stem ainda possibilita que projetos de inclusão ocorram tanto na composição das equipes, quanto no desenvolvimento de projetos tecnológicos que proporcionem mais inclusão no ambiente escolar, como é o caso deste projeto elaborado por alunos de uma escola no Rio Grande do Norte.

Uma educação conectada à realidade

Por seu aspecto interdisciplinar, a abordagem Stem também oferece aos alunos uma experiência mais próxima à realidade, com relação a elaboração de projetos, pois na vida real as disciplinas não são separadas.

Para uma empresa elaborar um projeto de engenharia, por exemplo, ela precisa se preocupar com questões de engenharia, mas também com gestão de projetos, dinâmica de grupos, cuidados com o meio ambiente.. por aí vai, e é assim que os projetos de alunos nas salas de aula Stem são pensados.

STEM e educação para o futuro

Educação para o futuro

A abordagem Stem é inovadora por ser abrangente, considerando áreas que estão cada vez mais presentes no cotidiano da humanidade, como as tecnologias da informação e da comunicação, e permitir que alunos proponham mudanças para a nossa sociedade, desenvolvendo nesses alunos as habilidades do século 21

A nossa sociedade, cada vez mais globalizada e tecnológica, não precisa de mais alunos que só fazem aquilo que o professor solicita, mas de pessoas criativas e autônomas, que também tenham um bom senso de empreendedorismo e de comunidade no processo de aprendizado, aspectos educativos que o Stem busca incentivar continuamente. 

Stem no Brasil

Bom, agora que você já sabe as principais qualidades do Stem e porque ela representa inovação nas práticas educacionais atuais, é importante também conhecer o cenário dessa abordagem aqui Brasil, que tem buscado novas práticas de ensino já há algum tempo. 

A Base Curricular Comum Nacional (BNCC) inclui elementos como capacidade de investigação e estratégias de conexão do conteúdo com a realidade do aluno e com a interdisciplinaridade. Assim, o Stem chega ao país como uma abordagem que está de acordo com as diretrizes curriculares nacionais e pode ser posta em prática mesmo quando os recursos tecnológicos para projetos são escassos, como ainda é o caso de muitas escolas públicas de ensino espalhadas pelo Brasil. 

Além disso, é possível incluir o Stem em cursos tecnológicos como os da I do code, que busca obedecer os parâmetros da BNCC e proporcionar aos alunos experiências positivas em sala de aula, onde podem desenvolver suas habilidades tecnológicas ao mesmo tempo em que trabalham qualidades como empreendedorismo e criatividade, tudo isso através de aulas baseadas em projetos que são desenvolvidos pelas próprias crianças. 

Em resumo, o Stem é sinônimo de inovação nas salas de aula, por todos os motivos citados acima e por compreender que crianças e alunos de diversas idades têm capacidade cognitiva para protagonizar projetos incríveis (tem dúvidas? Então dá uma olhada na coletânea de projetos dos alunos da I do Code), e com isso o processo de aprendizado fica muito mais conectado com a realidade atual, que é multidisciplinar e tecnológica.


Gostou do conteúdo? Você pode se manter sempre informado sobre as novidades no mundo da educação tecnológica acompanhando nosso blog e seguindo-nos no Instagram!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: