Geração Z: conheça as características dos nativos digitais

geração-Z - imagem de um celular com um z

A geração Z, ou os chamados “Centennials” são jovens e crianças, considerados filhos da internet, uma vez que buscam superar seus antecessores (Geração Y/ Millennials) mediante seus conhecimentos avançados, principalmente em tecnologia.

Além disso, a geração Z é formada por sujeitos que encontram na imediatez, autonomia e criatividade, uma saída viável para criação de um futuro mais sólido.

Hoje em dia, a geração Z representa aproximadamente 26% de toda a população mundial. Basicamente, a Geração Z está formada por aquele grupo demográfico de pessoas nascidas entre os anos de 1995 e 2010.

Cabe destacar também que, neste período, fomos marcados por uma sobre-exposição às informações e pelo auge da era digital. Logo, é isso que essa geração é tão tecnológica!

Além disso, a geração Z nasceu em meio a um período marcado pela recessão econômica, diferentemente da geração Y, que chegaram ao mundo em plena etapa de prosperidade, ou seja, antes da crise.

Como reconhecer os nativos da Geração Z?

Identificar um nativo da geração Z não é muito difícil, uma vez que os sujeitos dessa geração possuem as seguintes características marcantes.

  • Nascidos a partir de 1995 e 2010;
  • Geralmente são pessoas autodidatas;
  • Multitarefas;
  • Preferem a privacidade e a solidão.
  • Estão quase sempre conectados à Internet (inclusive, a principal forma de socialização para essa geração é através da web);
  • Apreciam a criatividade e a inovação, entre outros.

Segundo estudos realizados nos últimos anos, aproximadamente 80% dos nativos da geração Z estão permanentemente conectado às redes sociais.

Isso quer dizer que, são usuários ativos de diversas plataformas online e, além disso, são um grupo altamente comprometido, não apenas com o consumo, mas sim, com a criação de conteúdos.

É justamente por isso que, mais de 25% dos nativos da geração Z publica vídeos produzidos por eles mesmos, e até possuem uma tendência a querem ser YouTubers e influencers na web, por exemplo.

Isso significa que a característica principal e mais chamativa da Geração Z é que ela vive majoritariamente na internet.

Tendo em vista que nasceram em contato próximo às redes, com o passar dos anos, esta geração criou uma enorme dependência com relação à internet.

Isso chega ao ponto dos seus nativos considerarem as interações sociais mais importantes, focando-se naquelas que são feitas de modo virtual, ao mesmo tempo em que apresentam dificuldades para manter as interações sociais em tempo real.

Trata-se, portanto, de uma geração com a qual se podem conseguir mais respostas através dos meios digitais, devido a importância que estes meios tem para a vida dos jovens e adolescentes desta geração.

Com isso, a geração Z pode ser considerada a que mais facilmente se adapta às novas tecnologias, em comparação com todas as demais existentes.

Para a geração Z, a internet é o melhor meio, através do qual podemos conseguir (quase) tudo, como por exemplo:

  • Amigos;
  • Comunicação;
  • Grupos;
  • Jogos Online;
  • Produtos;
  • Cursos;
  • Empregos, entre outros.

Esta geração também se destaca por ter amigos virtuais aos quais não conhecem pessoalmente, e por terem um perfil dito impaciente, já que estão acostumados ao imediatismo do mundo online.

Se você quiser se aproximar de algum jovem da geração Z, deve buscar estar presente nos seguintes serviços/apps:

  • Facebook;
  • Instagram;
  • Twitter;
  • Tumblr;
  • Twitter;
  • WhatsApp;
  • YouTube;
  • Telegram, etc.

A internet é o oxigênio da Geração Z

Se alguma vez você sentiu que deixou uma parte de você, ao esquecer seu celular em casa, imagine o que ocorre com os nativos da geração Z.

Segundo estudos sociais, eles pensam que o acesso à internet é como o seu oxigênio. Inclusive. Acreditam que deveria ser considerado como um direito humano e estar sempre disponível a todos.

Sua conexão emocional com a internet, através de seus celulares vai além disso, tendo em vista que: 56% se sente sozinho quando não tem conexão com a internet, comparado com 52% que se sente sozinho quando está longe de sua família.

Isso revela que sua dependência pela internet é algo avassalador.

A geração exige novas formas de aprender

Por tudo isso que foi citado ao longo do nosso artigo de hoje, observa-se que a geração Z exige outra forma de aprender.

Fazem isso porque, em sua grande maioria, são jovens multitarefa, com a mente aberta, inovadores e impacientes.

Com isso, demandam novas ferramentas metodológicas e novas formas de aprendizagem. Desse modo, precisamos levar em consideração que, os nativos dessa geração são inteligentes e autodidatas, e, portanto, fazem muitas coisas por conta própria, independentemente se isso lhes trará algum título.

Por outro lado, a geração anterior, os chamados Millennials (geração Y), nasceram em uma época de bonança econômica e dão muito mais importância aos títulos. Isso significa que são menos autossuficientes, ativos e empreendedores que os da geração Z.

Os jovens da geração Z priorizam a Educação individualizada e a interatividade. Isso quer dizer que para eles, os métodos tradicionais de ensino estão cada vez mais antiquados e precisam de metodologias mais atrativas e que contemplem cada vez mais as novas tecnologias.

Conclusão

Entre as principais conclusões que podemos chegar, vemos que os integrantes da geração Z se caracterizam por serem pessoas com grande capacidade de trabalho em rede, com diferentes culturas e posições relacionadas à criatividade e inovação.

Ressalta-se que os nativos desta geração serão profissionais do futuro com grande potencial de hibridizar conhecimentos de diferentes áreas e de encontrar soluções rápidas e tecnológicas para as problemáticas que vierem a enfrentar.

Isso porque estamos diante da primeira geração que se formou com a internet e que aprendeu a se socializar por meio de plataformas, tais como as redes sociais.

Nesse sentido, a geração Z representa uma mudança importante na sociedade como um todo, até mesmo na política e na forma de desenvolver suas atividades do dia a dia.

Isso porque cresceram em um mundo digital sem a barreira do online e do off-line, ou seja, trocaram o ter pelo usar, e com isso, querem curtir as coisas sem precisar possuí-las, formando uma visão positiva da realidade.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: