Qual a diferença entre internet das coisas e inteligência artificial?

Smarts homes são uma das aplicações mais comuns e internet das coisas com inteligência artificial.

Internet das coisas e inteligência artificial são dois conceitos muito discutidos atualmente e que comumente andam em conjunto, então é normal acabar ficando em dúvida sobre onde um começa e o outro termina.

Porém, como essas tecnologias estão se tornando mais avançadas e acessíveis a cada dia, é muito importante saber diferenciá-las e saber quais suas aplicações, pois é muito provável que em pouco tempo alguma delas acabe se tornando parte do dia a dia da sua casa ou do seu local de trabalho.

Por isso, neste artigo vamos explicar brevemente o que é internet das coisas, o que é inteligência artificial e como as duas acabam se sobrepondo.

Internet das coisas

A internet das coisas é um conceito relativamente recente que nasceu das possibilidades criadas pelo aprimoramento das tecnologias relacionadas à internet. Com o aumento das velocidades de internet banda larga e a criação de roteadores cada vez mais potentes, ficou muito mais fácil ter uma grande quantidade de dispositivos utilizando uma mesma rede.

Uma casa comum, porém, normalmente não aproveita todo esse poder. Se cada pessoa tiver um computador e um celular, uma casa com quatro pessoas vai ter no máximo oito dispositivos conectados ao mesmo tempo, e nem todos estarão sendo usados a todo momento.

Mas e se pudéssemos usar essa capacidade restante da internet para facilitar nossas vidas?

Esse é o objetivo. Internet das coisas é o nome dado à rede onde podem ser conectados diversos dispositivos adaptados exatamente para essa conexão. Essa rede é usada para que esses dispositivos possam compartilhar informações entre eles, como informações sobre seus hábitos, sua rotina, suas preferências, entre outros. E esses dispositivos podem ser o que você quiser. Desde o sistema de segurança e de iluminação até a sua cafeteira.

A internet das coisas visa facilitar nossa vida conectando coisas à internet, e com isso aumentar a automação da nossa casa e da nossa vida.

Ela também apresenta várias aplicações na industria. A conexão e compartilhamento de informações tornam muito mais fácil o ato de monitorar continuamente a situação das máquinas de uma fábrica. Com ela, é possível, por exemplo, saber a qualquer momento a velocidade de fabricação de um produto, a quantidade de matéria-prima disponível e até quanto tempo falta para que uma máquina precise de manutenção.

Isso tudo pode ser também ser aliado à realidade aumentada, permitindo que um funcionário saiba todas as informações de uma máquina simplesmente apontando a câmera de seu tablet para ela, ao invés de precisar acompanhar um painel que colete e disponibilize esses dados.

Se quiser saber mais detalhes, confira este artigo!

Inteligência artificial

Inteligência artificial, por outro lado, é o nome dado a um conjunto de algoritmos que visam automatizar tarefas que exigem raciocínio, como tarefas criativas ou que envolvam fatores que mudam constantemente.

Um desses tipos de algoritmos é o de visão computacional. Essa área estuda formas de fazer com que o computador possa interpretar vídeos e imagens por si só, normalmente com um objetivo em mente. Uma parte famosa da visão computacional é a de reconhecimento de objetos e pessoas, onde características de diversos objetos e do corpo e rosto das pessoas são pré-definidos e o algoritmo usa essas configurações para encontrar pessoas e objetos em fotos e vídeos quaisquer.

Outra área que tem muito investimento é a de aprendizado de máquina. Aprendizado de máquina consiste em um algoritmo que consegue usar os dados inseridos nele para aprender com eles e assim decidir suas ações. Algoritmos assim normalmente recebem dados e informações continuamente para ajustar melhor suas ações e também aprender com os próprios erros. Em essência, é um algoritmo que cria algoritmos otimizados para uma determinada função.

Uma aplicação bem comum de inteligência artificial são personagens de jogos. Os personagens não-jogáveis precisam ter uma forma de agir sozinhos para tornar o jogo mais “vivo”, porém os ambientes de jogos costumam mudar com frequência. Por isso, inteligências artificiais de diversos níveis de complexidade são utilizadas para programar suas ações com base no estado do mundo virtual e as ações dos jogadores.

Outra, que está se tornando cada vez mais comum, é a de interpretação de linguagem natural. Computadores normalmente são programados para agir com base em comandos e palavras-chave pré-programados. Porém, isso significa que os usuários de um programa precisariam aprender esses comandos para poder usar um dispositivo. Para melhorar a experiência dos usuários e torná-la mais intuitiva, empresas que desenvolvem assistentes virtuais (como a Siri, a Alexa e o Assistente Google) utilizam processadores de voz e interpretação de linguagem natural para entender o que as pessoas falam, como se fossem uma pessoa interpretando outra, o que torna o uso deles muito mais fácil e simples.

Se quiser saber mais sobre o assunto, confira estes artigos!

Internet das coisas + inteligência artificial

Você já ouviu falar sobre smart homes?

As smart homes (ou casas inteligentes) são casas projetadas para a internet das coisas. Elas são construídas com isso em mente, já sendo vendidas com dispositivos inteligentes, isto é, adaptados à internet das coisas, como sistemas de seguranças, lâmpadas, controle de temperatura, entre outros. Basicamente, a casa toda pode ser controlada a partir do seu celular, e os dispositivos aprendem com seus hábitos e se adaptam fluidamente à sua rotina.

Mas como eles fazem isso?

Além da comunicação entre os dispositivos através da internet, cada dispositivo também apresenta um algoritmo de aprendizado de máquina. Com isso, os horários em que você usa o dispositivo se tornam dados que o algoritmo usa para aprender. E como os dispositivos estão conectados e compartilhando informações, a forma com que você usa um determinado dispositivo também influencia o aprendizado dos outros. Por isso, com o tempo, a casa começa a aprender seus hábitos e prever suas ações.

Isto é, embora a inteligência artificial exista independentemente da internet das coisas e tenha aplicações de diversos tipos, a internet das coisas depende da inteligência artificial para funcionar e fazer sua mágica.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: