Guia prático para conhecer se seu filho sofre ou pratica Cyberbullying

cyberbullying

Infelizmente, com o início de um novo ano escolar, muitos estudantes enfrentam um dos maiores problemas que se apresentam no âmbito das salas de aula na atualidade: o cyberbullying.

Embora a tecnologia nos tenha aberto uma gama gigantesca de possibilidades, tanto para as crianças, adolescentes, jovens, como também para os adultos e idosos, ela também trouxe consigo uma nova variedade de bullying, que atingiu o mundo digital através de fotos e ameaças transmitidas desde celulares e computadores.

O que é o Cyberbullying? É um grave problema que ocorre geralmente entre crianças e adolescentes usuários de novas tecnologias. De fato, estima-se que cerca de 20% dos adolescentes já sofreram bullying virtual, por meio de redes sociais ou mensagens ofensivas em seus telefones celulares.

Para prevenirmos que uma criança sofra ou venha a cometer o cyberbullying, certos comportamentos devem ser evitados e devemos estar cientes de quais sinais exigem que estejamos mais alertas, para assim, evitar que a criança se sinta seriamente intimidada, ou que apareçam distúrbios psicológicos importantes, incluindo comportamento auto prejudicial nos casos mais graves.

Desta forma, para evitar que esses casos ocorram, a educação é essencial. Ensine o seu filho a proteger sua privacidade e transmita o valor importante dos dados pessoais. Isso inclui dados, endereços (físicos e por e-mail), fotografias, dados sobre privacidade, etc.

Que ele entenda que não pode publicar tudo o que quiser indiscriminadamente, uma vez que sempre pode ser usado contra ele, ou afetar terceiros, e que as informações pessoais da web só devem ser dadas a pessoas de extrema confiança e por razões justificadas.

Além disso, recomenda-se que os pais monitorem se os seus filhos participam de bate-papos ou fóruns em que se discutam questões muitos radicais, tais como o racismo, xenofobia, etc.

Isso é importante para verificar como a criança se comporta diante dessas discussões. Muitas vezes é aí que ela pode estar cometendo cyberbullying com alguém. Lembrando que nem sempre o nosso filho pode ser a vítima da história.

Também é importante que os pais orientem seus filhos a ficarem longe de contatos anônimos duvidosos e avisem que nunca devem encontrar estranhos, mesmo que tenham entrado em contato com eles pelas redes.

Finalmente, ofereça confiança. É a melhor maneira de informá-lo e informar-se sobre o que o seu filho pode estar vivenciando no mundo virtual, pois assim será mais fácil saber se o mesmo está, ou não, sujeito a qualquer prática prejudicial ou suspeita de cyberbullying.

Se seu filho é vítima de Bullying Virtual

Seu filho pode ser vítima de cyberbullying se você observar algum destes comportamentos:

  • Outros menores, ameaçam, humilham, provocam ou publicam fotos dele que estão um pouco comprometedoras.
  • Você descobre que outros estão espalhando rumores falsos sobre ele, embora a princípio pareçam inocentes.
  •  Você encontra perfis ou páginas anônimas dedicadas exclusivamente a difamar o seu filho;
  •  Você detecta que alguém criou um perfil falso em alguma rede social.
  •  Ele reclama que alguém modificou ou alterou seu próprio perfil;
  • Seu filho recebe ameaças ou insultos através de fóruns, bate-papos, comentários, mensagens de telefone ou e-mails. Se quiser aprofundar esse tema, pode ler o artigo: Cyberbullying: 11 coisas que você precisa saber sobre.
  • Seu filho apresenta sintomas de depressão, ansiedade e anda mais retraído.
  • Seu filho não deseja ir à escola, entre outros.

Depois de conseguir identificar o problema os pais são aconselhados a agir rapidamente, antes que o problema cresça. Siga estes passos:

  • Mantenha todas as evidências que você tem sobre o cyberbullying contra a criança;
  • Feche a conexão imediatamente quando eles começarem a incomodá-lo, mas sem pular a etapa anterior.
  •  Se você identificar o agressor ou os agressores, deixe-os entender formalmente que estão cometendo um crime.
  • Se o assédio ocorrer em um site com gerentes ou administradores avise-os sobre o problema.
  • Se as ameaças forem graves, você deve relatar o caso, primeiro aos responsáveis pelo centro educacional e depois à polícia, se o primeiro não tiver funcionado.

Se seu filho pratica cyberbullying

Da mesma forma, você também deve reagir a tempo se observar que seu filho pode estar exercendo ele mesmo o cyberbullying com terceiros. Para evitar isso, siga as instruções abaixo:

  • Incentive-o a sempre a dirigir-se a outras pessoas com respeito, tanto no mundo físico como virtual;
  •  Lembre-o de que ele não deve fazer na rede virtual, o que não faria na vida real (ameaçar, intimidar, depreciar, entre outros).
  •  Verifique se o seu filho passa um tempo excessivo diante da tela do computador ou celular.
  • Convide-o para a reflexão, caso descubra que ele insultou ou ameaçou alguém, e recomende que ele remova a ameaça, pois é algo que pode causar problemas.
  • Conscientize o seu filho de que esse tipo de ação é crime e pode trazer sérias consequências para a sua vida.

Por fim, é recomendável ter o computador de uso do seu filho sempre disponível para acesso na sala ou em ambientes em que os pais estejam juntos, ou seja, uma área comum da casa.

Além disso, é preciso que os pais visitem com periodicidade as páginas da web que seu filho anda visitando e tenham total acesso às suas redes sociais.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: