Aprender a programar: como desenvolver a criatividade

Padrão

Os programadores são vistos como profissionais com uma visão altamente técnica. Lidam com questões muito complexas e devem ser muito detalhistas para se darem bem na profissão. Bem, nada disso parece conectar saber programar e desenvolver a criatividade, certo?

Errado! A programação exige muito raciocínio lógico e imaginação. Entender como funciona o mundo da tecnologia e as linguagens de programação pode formar jovens dispostos e criativos. Como isso é possível?

Leia até o fim e saiba a resposta para essa pergunta e também como desenvolver a criatividade do seu filho com essa atividade tão desafiadora que é a programação:

Desenvolver a criatividade criando coisas novas

Quem já teve uma ideia na cabeça e tentou colocar em prática sabe que isso exige muito da criatividade.

O primeiro passo para criar alguma coisa nova é sempre um desafio. Agora, imagine que você tem uma ideia perfeita de um programa de computador e de tudo que ele deve fazer. Ao fechar os olhos, chega mesmo a imaginar detalhes específicos do layout e funcionalidades.

Para torná-lo realidade, no entanto, vai ser preciso um longo caminho de testes, erros, ajustes e muita criatividade. Basicamente, a vida do programador inclui criação e programação. A programação possibilita tornar real ideias inovadoras, além de desenvolver a criatividade. Dá trabalho mas é muito recompensador poder criar algo totalmente novo e colocar em prática algo que só existia no pensamento.

Aprender uma nova linguagem

Aprender a programar se parece muito com estudar uma língua estrangeira. É preciso se esforçar para internalizar uma lógica completamente nova, entender significados e ordem de palavras de uma forma com a qual não estamos acostumados e sair do lugar-comum da nossa própria língua.

A etapa de falar e escrever em outro idioma também é quase idêntica à de escrever códigos de programação: é necessário entender o suficiente de uma nova linguagem para usá-la de forma, adivinhe, criativa.

Ou seja: criar num idioma estrangeiro, assim como escrever códigos de programação, é um exercício inigualável para a criatividade!

Questionar o que está estabelecido

Muitos pintores, escritores e músicos questionaram as regras do fazer artístico e a modificaram com a sua forma única de pensar. Não à toa que a arte é sempre relacionada a possibilidade de desenvolver a criatividade.

Na programação não é muito diferente: há situações em que a coisa simplesmente não funciona e, para que ela se torne o que foi imaginado, vai ser necessário questionar as próprias regras usadas para programar.

Questionar é uma ação que não apenas cria cidadãos mais críticos, mas também adapta as crianças a um futuro dinâmico que está por vir, onde as regras serão questionadas e mudarão muito rapidamente.

Entender que criatividade também implica seguir regras

Mas não é porque questionar regras é necessário que a ideia de ser criativo seja viver sem elas.

As pessoas criativas têm regras rígidas para orientar seus processos. E isso por um motivo muito simples: criar sem regras é impossível. Não tem como transformar suas ideias em realidade se você não tiver um método de trabalho bem rígido.

Programar não é diferente. Lidar com códigos de programação significa questionar regras, mas também confiar cegamente em algumas delas. Até, claro, que elas se provem ineficientes e seja melhor arranjar outras melhores.

Testar, errar e refazer

Desenvolver a criatividade com a programação não tem fórmula mágica. As crianças que aprendem a programar devem fazer como os programadores experientes: testar, errar e refazer.

Esse, aliás, é um procedimento que vale para a arte, a ciência e qualquer outro aspecto da vida. Programar não fornece apenas uma resposta sobre como aumentar a criatividade, mas também um método de trabalho para qualquer profissão que nossos filhos escolherem no futuro.

Programar é, basicamente, criar o tempo todo. É ter imaginação de artista e método de cientista para colocar em prática o que foi imaginado. E isso se faz estabelecendo regras, questionando-as e chegando em regras melhores. Tudo isso, claro, com muito teste, acerto e erro.

Os benefícios da programação para quem aprende é inegável. Mas acredita que ela também ajuda a mudar o mundo? Acesse esse post e saiba mais!



Posts Relacionados

Deixe uma resposta