A revolução no mercado da educação

Padrão

O mercado de educação, assim como tantos outros setores da economia, vem passando por muitas modificações nos dias de hoje. Algumas vezes, a velocidade dessas mudanças causa desconforto em instituições e professores mais tradicionalistas.Mas elas parecem ser inevitáveis. A boa notícia é que, até onde se pode perceber, o cenário tende a mudar para melhor.

Veja como o mercado de educação tem sido revolucionado:

Ensino à distância (EAD)

Os cursos à distância, desde que surgiram, foram vistos com certa desconfiança pelos brasileiros. Mesmo que essa opinião não fosse muito consciente, a maior parte das pessoas os enxergava como inferiores ou algum tipo de “enganação”.

Nos últimos tempos, porém, a qualidade desse tipo de ensino melhorou muito e passou a ser reconhecida. As pessoas vêm se conscientizando da importância da educação para a sua cidadania e que melhorar profissionalmente depende de adquirir conhecimento e competências, mas a falta de tempo e o trânsito ruim das cidades é um grande dificultador.

Por tudo isso, não se assuste com o crescimento vertiginoso do ensino à distância nos próximos anos. Ele é a solução perfeita para esses dilemas.

A participação das startups

Startups são empresas novas e que normalmente têm como atividade principal oferecer soluções para segmentos que ainda não são explorados no mercado. O melhor exemplo desse tipo de empreendimento é o Uber, que presta um serviço de transporte antes inexistente.

As startups da área de educação estão a todo vapor e prometem revolucionar o mercado. Hoje, já é possível encontrar todo tipo de solução para o campo educativo: além do EAD, já citado, há empresas que se dedicam à educação inclusiva — ajudando na inserção de alunos surdos e cegos, por exemplo.

E, principalmente, outras que introduzem novas tecnologias no campo da educação, como aplicativos de ensino de línguas, livros infantis interativos para tablets e plataformas online que ajudam mães e crianças a manterem o dever de casa sempre em dia.

Especialistas afirmam que o Brasil oferece hoje, apesar da situação econômica desfavorável, um contexto muito parecido com o que levou ao desenvolvimento de gigantes como Google e Microsoft no Vale do Silício, na Califórnia.

Você pode não acreditar, mas essas eram empresas bem modestas, na época.

O papel das novas tecnologias

Escola e professores

A revolução tecnológica obriga escolas e professores a repensarem o seu papel na educação. Com a facilidade de acesso à comunicação propiciada pela internet, os alunos deixam de ser passivos no processo de ensino aprendizagem e assumem papel central na produção do próprio conhecimento.

Mas essa mudança demora um pouco para ser assimilada pelo mercado da educação, que ainda tem poucos profissionais preparados para essa nova realidade.

Soluções inovadoras

Além disso, as escolas apresentam dificuldades de se inserirem em um mercado mais amplo que já está pronto para recebê-las. Grandes instituições ignoram soluções inovadores desenvolvidas por startups e ainda têm muita relutância em trabalhar junto com elas.

Educação tradicional e EAD

Elas também demonstram um certo preconceito com a Educação à Distância (EAD). Mas tudo isso mudará inevitavelmente em breve, já que esse processo de adaptação do mercado de educação parece ser inevitável.

O currículo das escolas parece já estar se adaptando e é um dos primeiros a sentir essa revolução. Um bom exemplo é que, em vários países do mundo a programação já é considerada como competência necessária para o currículo de escolas. Em alguns casos, o ensino dessa disciplina começa aos 6 anos de idade.

No fundo, o maior incentivo para que o mercado de educação seja revolucionado parece vir do ator mais importante nessa relação de forças: o aluno.

Agora que você sabe sobre a revolução por que passa o mercado de educação, queremos saber a sua opinião. Está satisfeito com o currículo da escola do seu filho? O que acha que poderia melhorar? Deixe um comentário aqui embaixo, contando pra gente.


Posts Relacionados

Deixe uma resposta